Icon[youtube-video]-functional@2xSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_Simplified0A6B3197-B8EF-4853-A014-0B6AD232B8931-facebook-social-media-communication-flatlink 2.3.3.14-twitter-social-media-communication-flatSPECTRUM_ICONS_GROUP2_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedIcon[case-studies]-IllustrationSPECTRUM_ICONS_GROUP2_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_Simplified65397E78-48B8-4D37-952C-A87908E6B132SPECTRUM_ICONS_GROUP2_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedIcon[e-learning]-IllustrationSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP2_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP2_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP2_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP2_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP2_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP2_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP2_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedIcon[qa]-functional@2xIcon[qa]-Illustration8AFD0F2B-4947-4C6E-B2E2-65A1130D6B7966C4AD42-B679-453D-9F05-F6B45547E699Icon[shopping-cart]-IllustrationIcon[shopping-cart-check]-functionalSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP2_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP2_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedSPECTRUM_ICONS_GROUP1_w_SimplifiedIcon[youtube-video]-Illustration2EF65906-4130-454E-B8A4-583CBF82493B

Suporte ao Profissional de Saúde

Se você é novo em incluir a maconha medicinal na sua clínica ou se prescreve há anos, estamos aqui para ajudá-lo com orientação clínica, acesso a treinamento e links para as mais recentes iniciativas de pesquisa.

Introdução à canabis medicinal

Há indícios do uso de preparações medicinais da canabis há mais de cinco mil anos, fazendo com que ela seja uma das plantas medicinais mais antigas do mundo.

Canabis

Mais de 500 compostos naturais foram identificados e isolados na Cannabis sativa. Isso inclui os canabinoides, de extrema importância para a medicina, terpenos, flavonoides e outros componentes não canabinoides. Tais compostos são produzidos em alta concentração nas tricomas glandulares, glândulas que parecem fios de cabelo, secretam resina e estão localizadas na superfície da flor fêmea da canabis.

Canabinoides

Há mais de 100 canabinóides na canabis, que interagem com os receptores

de canabinóides do corpo:

 

  • Endocanabinoide - naturalmente produzido pelo corpo

  • Fitocanabinoide - encontrado em muitas plantas, mas em maior concentração na canabis

  • Canabinóides sintéticos - incluem os farmacêuticos análogos ao THC (como a nabilona) ou as misturas de THC e CBD extraídos de plantas (como o nabiximols)

O THC (tetra-hidrocanabinol) é um dos principais ingredientes ativos presentes na canabis.  Ele é responsável pela maioria dos efeitos farmacológicos da canabis, incluindo o efeito psicoativo.

O CBD (canabidiol) é outro composto ativo na canabis, mas não é psicoativo.

Ativação dos canabinóides

O ácido tetrahidrocanabinólico (THCA) e o ácido canabidiólico (CBDA) na planta natural deve ser descarboxilado para os fenóis neutros (THC e CBD) para interagir com o sistema endocanabinoide. Isso ocorre quando as flores secas de cânabis são aquecidas, seja ao vaporizar, fumar, assar ou cozinhar a planta. Muitos óleos disponíveis comercialmente são descarboxilados para fornecer uma dosagem consistente e precisa.

Terpenos e flavonoides

Os terpenos e flavonoides são responsáveis pelos aromas e sabores das diferentes variedades de canabis. Os terpenos podem ter efeitos psicológicos diretos além de interagir com os canabinóides para criar as propriedades únicas de cada variedade da canabis.

 

Isso é conhecido como "efeito comitiva", uma teoria que descreve as potenciais interações entre os canabinóides maiores, canabinóides menores, terpenos e outros componentes da planta.

Woman Gardening

O sistema endocanabinóide

O SEC é um sistema de sinalização lipídica onipresente que desempenha um importante papel ao regular a homeostase no corpo humano. O SEC consiste de receptores endógenos, ligantes e enzimas metabólicas.
 

Ele está envolvido nos seguintes processos:

  • desenvolvimento neural

  • função imunológica

  • inflamações

  • apetite

  • metabolismo e homeostase de energia

  • função cardiovascular

  • digestão

  • desenvolvimento ósseo e densidade

  • plasticidade sináptica e aprendizado
  • dor, reprodução

  • doenças psiquiátricas

  • comportamento psicomotor

  • memória

  • ciclo de sono-vigília

  • regulação do estresse e do estado emocional

Receptores

O SEC contém receptores CB1 e CB2, dois agonistas endógenos (ou endocanabinoides), e enzimas endocanabinóide degradantes e sintetizantes. CB1 são encontrados em maior concentração no sistema nervoso central e periférico e no trato gastrointestinal. Os receptores CB2 são geralmente encontrados no sistema imunológico, incluindo amígdalas, baço, nódulos linfáticos, granulócitos neutrófilos e linfócitos circulantes.

 

 

Embora esteja presente no SEC, a concentração de receptores canabinóides é baixa no tronco encefálico, especificamente na região responsável pelo controle respiratório. Dessa forma, diferentemente dos opioides, é praticamente impossível ter paradas cardiorrespiratórias com o uso de canabinóides.

Ativação dos receptores de CB1

Esse esquema de junção neuronal mostra a ativação dos receptores de CB1 pelos endocanabinóide. Essa sinalização retrógrada regula a neurotransmissão de uma forma espaço-temporal bem precisa.

 

  1. Os endocanabinóides são produzidos no terminal pós-sináptico em resposta às exigências celulares.

  2. Esses ligantes passam pela fenda sináptica e ligam os receptores canabinoides (CB1, por exemplo) na superfície da célula do terminal pré-sináptico.

  3. Uma vez estimulado, o receptor ativa uma cascata de sinalização que inibe a liberação de neutransmissores na fenda sináptica (glutamato, GABA, dopamina e colecistocinina, por exemplo).

  4. A inibição de neurotransmissores muda a frequência de disparo de neurônios pós-sinápticos.

Métodos de administração

Ingestão

Ingerir o óleo de canabis através de uma seringa de dosagem oral ou em drágeas de gel garante a dosagem correta. Não é recomendado adicionar o óleo de canabis em produtos assados ou outros alimentos (como iogurte), já que a precisão de dosagem é perdida.

Inalação

Vaporização

Vaporizar é uma forma de inalar os componentes bioativos da canabis medicinal sem queimar o material da planta. A canabis é aquecida em uma temperatura que volatiliza, sem entrar em combustão, os canabinóides e outros componentes da planta, reduzindo substancialmente os subprodutos tóxicos. Ela reduz os danos associados ao fumo, é mais eficiente para extrair os componentes quimicamente ativos e reduz a perda de canabinóides na exposição à fumaça, que leva a uma economia substancial quando comparada ao fumo.

 

Fumo

Embora o fumo seja a maneira mais comum de consumir a canabis, não é o método mais recomendado. Fumar substâncias de plantas está associado a diversos efeitos adversos à saúde. O fumo libera toxinas e carcinógenos, incluindo amônia, monóxido de carbono, alcatrão e hidrocarbonetos aromáticos policlínicos.

Nossos produtos

Oferecemos uma grande variedade de produtos em cápsulas gelatinosas, óleo comestível e flores secas. Os pacientes e os provedores de saúde podem usar nosso simples sistema de codificação por cores para identificar os produtos corretos para as suas necessidades de tratamento.

Veja nossos produtos
Este site utiliza cookies para reconhecer seu computador ou dispositivo para poder oferecer a melhor experiência como usuário e para melhorar seus recursos. É possível desabilitá-los pelo navegador, mas alguns dos recursos do site não ficarão mais disponíveis. Para ler nossa Declaração de Privacidade do Site, clique aqui.